Helicóptero sobrevoará Marte pela primeira vez hoje; veja como assistir

Engenheiros que jogaram Chopifter passam na frente

Ingenuity Marte
Publicidade

Nesta segunda-feira (19), a NASA, agência espacial americana, realizará uma ação histórica em Marte: sobrevoar o planeta vermelho de helicóptero. E embora tudo tenha sido planejado por anos, a experiência não será algo como brincar de “Choplifter”, já que as condições por lá são mais do que desafiadoras, a começar pelo que se vê na tela.

Por conta da distância entre Terra e Marte, o envio das informações de áudio e vídeo chegará aos monitores da NASA às 7h15, mas terão acontecido na verdade às 4h30. Diante desse “delay” todo, a movimentação do “Ingenuity” (“Engenhosidade” em português) em tempo real é algo impossível de ser feita com a tecnologia atual. Para realizar esse voo, a máquina foi programada para executar a ação no horário indicado, deixando um suspense de quase 3 horas até saber o que foi visto no feito histórico.

Logo, o que será transmitido em tempo real mesmo é a reação do time da NASA ao receberem as primeiras imagens do helicóptero sobrevoando o solo marciano. Algo que poderá ser conferido no link abaixo:

Continua depois da publicidade

Desafios

Conforme visto acima, controlar isso à distância requer uma coordenação monstra. Confira abaixo alguns desses desafios para brincar de Choplifter com 288 milhões de quilômetros entre o controle e a máquina:

Tempo – As condições hostis do tempo em Marte podem ser um problema para o mini helicóptero, que já teve o voo cancelado duas vezes por conta do mal tempo por lá;

A atmosfera – O bagulho é loko em Marte: No verão, 22Cº, no inverno, -125Cº. Junte isso a tempestades de areia e um ar super rarefeito e navezinha de 1,8kg vai parecer uma mosca no meio de um tufão. Uma missão e tanto para as hélices dessa mosca metálica, que deverão girar muito rápido para vencer a atmosfera densa do planeta, que tem 1% da densidade do ar terráqueo no nível do mar. Será voar a mais de 30 mil metros de altitude em nosso planeta.

Bateria – O Ingenuity conta com baterias solares, o que lhe dá vida eterna nesse quesito, mas nada que se garanta um rolê épico por aí;

Inexperiência – Conforme já dito, é tudo novo, feito pela primeira vez na vida fora das simulações estudadas na Terra. E isso por si só já é uma emoção a parte;

Tem algo que ajuda? – Puxa vida, tem sim: A gravidade, que lá é cerca de um terço da nossa. No caso de Marte, pra cima, esse santo ajuda;

Bate Volta – Devido a todos esses fatores expostos acima, a nave vai fazer só um rolezinho, mas é rolezinho mesmo. O programado é que a nave não passe de 5m de altura e não vá mais que 300 metros longe da sua base, tudo isso feito em 90 segundos. Assim, quem estiver esperando um voo de Top Gun pode realinhar expectativas. Contudo, caso o bate-volta dê certo, outros desses rolezinhos serão feitos no futuro.

O Ingenuity que lute – A essa altura, você já deve ter percebido que o helicóptero estará por conta nessa missão em boa parte de seus movimentos, deixando os engenheiros da NASA responsáveis apenas por alguns comandos nessa ação. Sensores da nave vão indicar do que ela precisar desviar em sua humilde rota de 300m, curtíssima para o planeta vermelho, uma viagem épica para a humanidade.

Mars 2020 O helicóptero faz parte da missão Mars 2020, da Nasa, cujo principal instrumento é o rover Perseverance. Caso a experiência dê certo, a ideia é ir aprimorando a nova possibilidade de locomoção por lá e conseguir explorar o planeta com outra dinâmica, e assim, em algum momento iniciar a colonização de Marte. Quem sabe um dia ainda não vamos rir da banalidade que foi fazer uma dessas máquinas tirarem uma selfie por lá?

Enquanto não vem selfies humanas nem aeronaves controladas por nós lá mesmo, relembre de quando controlar um helicóptero era uma missão bem mais fácil e barata:

Publicidade
© 2021 Observatório de Games | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade