fungo The last of us
O fungo Cordyceps ophioglossoides e um ser infectado em The Last of Us. Imagens: Reprodução Internet.

The Last of Us II foi lançado mundialmente no último mês, conquistando não apenas a crítica especializada, como também batendo recordes de venda e dando um ponto final a uma história iniciada sete anos atrás. Contudo, há uma dúvida que paira na cabeça de alguns fãs até hoje. Qual é a origem do mal que iniciou o apocalipse zumbi no universo de TLoU?

Para entendermos esse desastre causado na ficção, temos de ir na raiz do problema apontada no game. A infecção começa por conta do cordyceps, um fungo da classe dos ascomicetos, que cresce principalmente em insetos e artrópodes. É uma variação deste tipo fungo que vai infectar os humanos no game, gerando mutações bizarras que irão devastar quase toda a população da Terra.

A base de maior foco do fungo no mundo é localizada nas florestas tropicais úmidas no continente asiático, onde existem mais de 400 espécies de cordyceps conhecidas. Após atingir o sistema nervoso central, a criatura infectada busca lugares que tenham uma boa ventilação e umidade, para fazer com que o fungo se desenvolva com mais facilidade. A título de curiosidade, confira um vídeo chocante dessa classe de vírus atacando uma formiga selvagem:

Após um período de três semanas, o vírus já se desenvolveu por completo e o animal já estará morto. feito isso, o cordyceps lança esporos no ar para infectar outros animais, e assim continuar o ciclo. Contudo, é necessário ressaltar que, ao mesmo tempo que ela causa a morte de alguns artrópodes, ela também auxilia o sistema ecológico para que uma espécie não domine o ambiente, fazendo com que diversas outras espécies coexistam.

É normal que algumas pessoas se choquem com o conhecimento desse fungo, porém, em algumas partes do mundo ele é usado até como alimento. Outro ponto que ‘limpa a barra do fungo’ é o fato de que experimentos com ele apresentaram resultados positivos no combate ao câncer. E por fim, uma informação que deixa o que se viu em The Last of Us só no campo da ficção: até onde se sabe, o fungo não ataca o sistema nervoso humano, dado o fato que nós possuímos sangue quente e sistema imunológico bem desenvolvido.

Contudo, vale ressaltar que se o cordyceps entrar em contato com o a corrente sanguínea de uma pessoa, certamente ela virá a óbito por sepse ou hemorragia interna. A sepse ocorre quando substâncias químicas são liberadas na corrente sanguínea, onde para combater uma infecção é desencadeada uma inflamação em todo o corpo. Isso pode causar uma série de alterações que danificam diversos sistemas de órgãos, levando-os a falharem e, às vezes, resultando em morte.

Neil Druckman, diretor da franquia do game, com certeza foi longe com sua equipe de desenvolvedores nas pesquisas que acabaram colocando o fungo como start do apocalipse que atingiu o mundo de The Last of Us. Porém, conforme evidenciado acima, uma pandemia entre humanos causada pelo cordyceps está longe de acontecer na realidade, tendo espaço apenas na ficção. The Last of Us 2 está disponível apenas para PS4.

Para quem fiou curioso sobre o tema e quer ainda mais curiosidades, batas clicar no link abaixo:

Veja também: